FONTES DE FINANCIAMENTO

O Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia (PPG-AU/UFBA), além de ter grande parte da sua manutenção assegurada por recursos bancados pela universidade a que se vincula, recebe apoio financeiro, regular e anual, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), através do seu Programa de Apoio à Pós-Graduação (PROAP). Os recursos oriundos do PROAP são utilizados prioritariamente nas seguintes ações:

  1. Pagamento de passagens e diárias para professores convidados, especialmente para ministrar cursos, palestras e conferências em eventos promovidos pelo programa, além de participar como membros externos das bancas de defesas de teses e dissertações;
  2. Apoio à participação de discentes em eventos científicos;
  3. Apoio a viagens de discentes para desenvolvimento de pesquisas de fundamentação das suas teses ou dissertações.

A CAPES nos últimos anos também tem financiado atividades relacionadas à pesquisa no âmbito do PPG-AU/UFBA, através do apoio financeiro a projetos de pesquisa contemplados com recursos oriundos de editais específicos, tais como:

  • Projeto “Patrimônio e Metrópole Contemporânea”, viabilizado a partir de um convênio ligado ao Programa CAPES/COFECUB para os biênios 2013/2014 e 2015/2016. Tal projeto compreendeu uma ação de intercâmbio acadêmico e cooperação técnica voltada para professores, pesquisadores e estudantes de doutorado, envolvendo o Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUFBA e o Instituto de Urbanismo de Paris (IUP), da Universidade de Paris-Est, França. O orçamento do projeto, finalizado em 2016, contemplou a realização de viagens de cooperação técnica de docentes, além de bolsas sanduiches, para doutorandos, e bolsas Pós-Doc, para docentes.
  • Projeto “Regeneração de vazios construídos em áreas urbanas centrais. Uma tecnologia social aplicada ao caso de Salvador, Bahia”, viabilizado através do Edital CAPES, Chamada de Projetos nº 09/2014 – 3º Cronograma – Pesquisador Visitante Especial. O orçamento do projeto, além da viabilização de bolsa para Professor Pesquisador Visitante Especial, no caso a Profa. Olivia Fernandes de Oliveira, Ecole Polytechnique Fédérale de Lausanne (ENAC-EPFL) e Haute Ecole d’Ingénierie et d’Architecture (HEPIA) de Genebra, Suiça, também prevê bolsas para pesquisadores pós-doc e bolsas sanduiches para doutorandos vinculados ao programa. Maiores informações podem ser acessadas clicando no link a seguir: www.regenvazios.ufba.br.

No que toca às bolsas, cabe registrar que além daquelas vinculadas a projetos específicos, como os citados acima, o PPG-AU/UFBA é contemplado com cotas de bolsas de diversas agências.

Para os seus alunos regulares o programa recebe uma cota de 13 bolsas de mestrado e 20 bolsas de doutorado da CAPES, 11 bolsas de mestrado e 5 de doutorado do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), além de um número variável de bolsas para mestrado e doutorado da FAPESB (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia). Com relação às bolsas de doutorado sanduíche no exterior, os discentes do programa também podem receber bolsas da CAPES, do CNPq e da FAPESB, conforme disponibilidade.

Para pesquisadores pós-doutores, além daquelas vinculadas a orçamentos de projetos como os já citados, outorgadas a partir de editais específicos, o programa conta com 2 bolsas que são concedidas em consonância com o determinado pelo Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD-CAPES).

O PPG-AU/UFBA também conta com apoio da CAPES e CNPq para qualificação do seu corpo docente através das bolsas de Pós-doutorado no Brasil e no Exterior e da concessão de auxílio financeiro para a participação em eventos nacionais e internacionais.

Professores do quadro permanente do programa contam com Bolsas de Produtividade em Pesquisa do CNPq, de diversos níveis. No quadriênio 2013-2016, o número de bolsistas de produtividade variou entre sete e dez, sendo que, em 2016, considerando-se o quadro atual credenciado, oito docentes contam com bolsas dessa natureza, conforme a seguinte distribuição:

  • Bolsista PQ CNPq – Nível SR:
  • Mário Mendonça de Oliveira
  • Bolsistas PQ CNPq Nível 1A: 
  • Ana Maria Fernandes
  • Pasqualino Romano Magnavita.
  • Bolsista PQ CNPq – Nível 1B:
  • Ângelo Szaniecki Perret Serpa
  • Bolsistas PQ CNPq – Nível 1C:
  • Ângela Maria Gordilho Souza,
  • Paola Berenstein Jacques.
  • Bolsistas PQ CNPq – Nível 2:
  • Arivaldo Leão de Amorim
  • Gilberto Corso Pereira

O PPG-AU/UFBA ainda conta com bolsas de iniciação científica, financiadas pela própria UFBA ou pelo CNPq, destinadas à participação de alunos da graduação nos projetos de pesquisas dos membros do corpo docente do programa.

Quanto às ações voltadas para a melhoria de sua infraestrutura, nos últimos anos, o PPG-AU/UFBA foi contemplado com recursos oriundos da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) que, embora assegurados a partir de edital CT-INFRA do ano de 2008, só recentemente puderam ser disponibilizados.  Tais recursos foram programados para realização de obras de melhoramento das condições físico-espaciais do edifício sede do programa – obras ainda não iniciadas – e de alguns laboratórios a ele vinculados, como o NTPR (Núcleo Tecnologia da Preservação e do Restauro) e LCAD (Laboratório de estudos avançados em Cidade, Arquitetura e Tecnologias Digitais), como também para a complementação do acervo de seus equipamentos. Os recursos liberados até o momento, atendendo a uma programação estruturada com a participação da PROPCI (Pró-Reitoria de Pesquisa, Criação e Inovaçãoda UFBA), privilegiaram a compra de equipamentos de alta tecnologia para o NTPR. 

No final de 2015, o PPG-AU UFBA também foi contemplado com recursos do Edital FAPESB 03/2015, lançado para seleção de propostas visando o fortalecimento da Infraestrutura de pesquisa e a produção de conhecimento no Estado da Bahia. A proposta apresentada pelo programa destina-se especificamente à complementação de ações que visam a melhoria do LCAD (Laboratório de estudos avançados em Cidade, Arquitetura e Tecnologias Digitais), um dos laboratórios mais atuantes no apoio às pesquisas desenvolvidas no seu âmbito.

Mestrado Profissional em Conservação e Restauração de Monumentos e Núcleos Históricos (MP-CECRE) e a Residência em Arquitetura, Urbanismo e Engenharia – Residência AU+E/UFBA (Curso de Especialização em Assistência Técnica, Habitação e Direito à Cidade), apesar de vinculados ao PPG-AU/UFBA, não recebem recursos da CAPES. Embora apoiados pelo programa, essas outras experiências de pós-graduação são essencialmente mantidas por recursos disponibilizados em editais de outras agências de fomento – como, por exemplo, o Edital FAPESB 025/2014 -  Apoio a Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu -  Mestrados Profissionais, com o qual o MP-CECRE foi contempladoou pela articulação direta com instituições diversas, como o IPHAN (caso do MP-CECRE) e PROEX (Pró-Reitoria de Extensão da UFBA), no caso da RAU+E. Maiores informações podem ser obtidas diretamente nos sites a seguir: 

www.cecre.ufba.br e www.residencia-aue.ufba.br